Publicações

A TERCEIRA IDADE GANHA ESPAÇO NO MERCADO IMOBILIÁRIO

img-post

A TERCEIRA IDADE GANHA ESPAÇO NO MERCADO IMOBILIÁRIO

OS DIREITOS DOS IDOSOS E ALGUMAS QUESTÕES POLÊMICAS

A cada dia aumenta o número de idosos no Brasil, os quais têm direitos que muitos desconhecem. Nessa entrevista o advogado Kênio Pereira fala na Rádio Justiça do STF sobre acessibilidade, sobre a polêmica de pessoas deficientes terem preferência na escolha de vagas na garagem do edifício, a prioridade do idoso na tramitação de processos na justiça; o direito do idoso quanto ao prazo do financiamento imobiliário e outras questões relevantes.

 

CLIQUE AQUI para ouvir a entrevista que foi ao ar na Rádio Justiça.

 

Com a perspectiva de vida da população aumentando, a cada dia mais cresce a parcela das pessoas da terceira idade que têm chamado a atenção de vários ramos de produtos e prestação de serviços. Têm surgindo novos negócios para essa faixa de população que tem bom poder aquisitivo, devendo o mercado imobiliário estar apto para atender as demandas dos idosos.                       

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2000 a população com mais de 60 anos era de 14,5 milhões de pessoas, um aumento de 35,5% ante os 10,7 milhões em 1991. Hoje, este número ultrapassa os 29 milhões e a expectativa é que, até 2060, este número suba para 73 milhões com 60 anos ou mais, o que representa um aumento de 160%. Até o ano de 2032, quando 32,5 milhões dos mais de 226 milhões de brasileiros terão 65 anos ou mais.                       

Diante dos avanços da medicina que tem refletivo na maior expectativa de vida e na maior disposição das pessoas com mais de 60 anos, essas têm desejado comprar sua moradia com as adaptações que lhe acarretem mais comodidade e conforto futuramente.                       

O poder de compra dessa parcela da população tem atraído construtoras e incorporadoras, que apostam em empreendimentos não apenas com maior acessibilidade como manda a lei, mas também com outros formatos, como flats para a terceira idade. Têm surgido condomínios pensados especialmente para idosos, com diferenciais como: equipamentos de ginástica voltado para os idosos, aulas de pintura, de dança, hidroginástica, área verde para passeios, concursos e gincanas, espaço próprio para mesas de carteado.                       

As empresas precisam se ater à nova demanda do mercado e oferecer unidades planejadas com melhor iluminação, área de lazer planejada com maior acessibilidade, portas dos elevadores mais largas para o acesso facilitado de cadeiras de rodas e andadores, ausência de degraus para evitar quedas que podem resultar em consequências graves devido à idade, banheiros adaptados com corrimão nos boxes e paredes, portas dos cômodos mais largas e maiores, pisos antiderrapantes nas áreas externas e dentro dos apartamentos, dentre outras melhorias. Esses condomínios estão sendo divulgados como empreendimentos com consciência gerontológica, ou seja, apartamentos que valorizam e respeitam as especificidades da terceira idade.                       

Com o envelhecimento da população muitos empresários têm voltado sua atenção para esse crescente público consumidor que por ter maior experiência de vida é bem mais exigente. Há ainda os familiares que, ao terem boa condição financeira, se empenham para proporcionar uma qualidade e segurança de vida melhor para garantir bem-estar e longevidade. Quanto a esse ponto, têm surgido lares de idosos que se assemelham a clubes, com excelente infraestrutura de lazer, assistência médica e com socialização que permitem em boa qualidade de vida para aqueles que não têm parentes próximos.                        ,

O potencial de consumo desta classe é evidente, pois durante toda a sua vida laboral eles produziram bastante, para quando pudessem chegar a terceira idade tivessem a sua disposição uma melhor qualidade de vida para continuar a gozar da sua independência e do seu bem-estar.                       

Em nossa atualidade mercadológica não há espaço para quem não caminha lado a lado com as mudanças da classe de consumidores, precisamos nos desenvolver periodicamente às inovações tecnológicas para conquistar o público, não somente dos usuários da terceira idade mas, também de seus familiares. Tanto na área de saúde, lazer, quanto na área imobiliária.                       

Não somente as edificações devem se ater às mudanças, mas também se faz necessário que os funcionários dos edifícios também se adequem a essa nova realidade, pois esses pontos serão diferenciais na hora do idoso escolher sua moradia.

 

 

 

Kênio de Souza Pereira

OAB/MG: 54.343

Presidente da Comissão de Direito Imobiliário da OAB-MG

Diretor da Caixa Imobiliária Netimóveis

Conselheiro da Câmara do Mercado Imobiliário de MG e do SECOVI-MG

keniopereira@caixaimobiliaria.com.br – Tel. (31) 3225-5599

Compartilhar